Climatização

Conheça 4 sistemas de climatização e suas características

outubro 30, 2020

As altas temperaturas são realidade em praticamente todo o Brasil. Por isso, muitas pessoas procuram por tipos de climatização de ambientes para amenizar a temperatura, tanto em ambientes comerciais quanto em indústrias e até mesmo residências.

Afinal, um calor muito intenso pode prejudicar a saúde e a qualidade da produção de alimentos, sementes, silagem, entre outros. Mas quais alternativas existem para equilibrar a situação e ter um bom resultado?

Neste artigo, você vai conhecer 4 soluções de climatização e suas principais características. Continue a leitura e veja qual deles pode atender melhor as suas necessidades!

1. Ar-condicionado

Sem dúvidas, o uso do ar-condicionado para climatizar ambientes é o mais comum. Em geral, o aparelho é instalado em escritórios e ambientes comerciais e residenciais. Seu trabalho se dá ao captar ar quente e devolvê-lo resfriado ao ambiente, através da passagem do ar pela serpentida do evaporador.

Trata-se de uma opção eficiente, , principalmente quando se trata de ambientes fechados e não muito grandes. Porém, é preciso ficar atento ao equipamento escolhido, principalmente em relação ao seu consumo de energia.

É possível encontrar o equipamento em versões tipo janela, duto, portátil ou split. Alguns oferecem a opção quente e frio.

Para evitar eventual transmissão de doenças e um consumo maior de energia, é importante a troca regular dos filtros, geralmente recomendada a cada mês ou, no caso de ambientes com muita poeira ou fluxo importante de pessoas, a cada 7 ou 15 dias.

2. Climatizador evaporativo

Comumente comparados aos aparelhos de ar condicionado, os climatizadores evaporativos não tem exatamente a mesma função, uma vez que não utilizam gás refrigerante, impossibilitando atingir temperaturas tão baixas quanto um ar condicionado.

No climatizador evaporativo, o ar quente passa por uma placa tipo ‘colméia’ de celulose que fica permanentemente úmida por um processo de água circulante do sistema. Este ar, já resfriado e umidificado é então insuflado por um ventilador no ambiente. Alguns equipamentos são dotados de filtros, ajudando assim a purificar o ar.

A água de seu reservatório deve ser trocada com frequência. Conforme a qualidade e dureza da água, esta troca deve ser feita semanalmente ou até mesmo diariamente, com risco de danificar a bomba, entupir a passagem de água do reservatório ou mesmo o depósito de resíduos na colmeia. A colmeia e o reservatório também devem ser lavados em média a cada 3 meses.

3. Ventilador de baixa pressão

O sistema de ventiladores de baixa pressão utiliza um sistema de disco, onde a água é atomizada pela força centrífuga. Por utilizar baixa pressão, emitem gotas maiores, que levam mais tempo para evaporar.

A grande maioria dos modelos encontrados no mercado são estáticos, ou seja, não oscilam, concentrando assim a água aspergida numa direção única. Alguns modelos dispõe de reservatório de água e válvula manual para controle da vazão de água.

Importante dizer que estes equipamentos acumulam certa água em seu interior. Parada e em contato com o ar, pode ser foco de contaminação e proliferação de fungos e bactérias. Esta mesma água será então aspergida pelo equipamento no ambiente.

Seu disco também tende a concentrar fungos devido à umidade, motivo pelo qual a higienização periódica destes ventiladores é essencial.

4. Microaspersão

No entanto, mesmo diante de todas essas opções para climatizar ambientes, a microaspersão tem se destacado ainda mais no mercado, principalmente pela sua versatilidade de uso. Seu sistema produz micropartículas de água, que são aspergidas em alta pressão. Assim que entram em contato com o ambiente, são instantaneamente evaporadas em uma ação rápida e uniforme, proporcionando uma deliciosa sensação de frescor.

Além de refrescar o ambiente, proporciona a umidificação do ar e ainda garante um ar mais puro, uma vez que os particulados sólidos presentes no ar grudam nas partículas de água e precipitam.

A microaspersão é apresentada em dois principais formatos: linhas de aspersão e ventiladores com microaspersão.

Algumas das grandes vantagens da utilização da microaspersão são:

  • Facilidade de instalação em diversos tipos de estruturas, não necessitando adaptações estruturais;
  • O sistema é distribuído em todo o ambiente, garantindo um resultado homogêneo;
  • O sistema é acionado por um painel temporizador, permitindo seu funcionamento contínuo ou intermitente;
  • Sensor de temperatura e umidade pode ser acoplado ao sistema;
  • Ideal para diversos setores de atividades, em especial ambientes abertos e semi abertos ou, ainda, espaços muito amplos, como indústrias, estufas de orquídeas, pavilhões, galpões, estoques de materiais ou alimentos, stands e áreas externas, aviários, entre outros;
  • Pouca manutenção;
  • Baixo consumo de água e energia.

Comparando-se a microaspersão aos demais tipos de climatização encontrados no mercado, temos:

Microaspersão x Ar condicionado

A microaspersão apresenta um custo inferior quando comparada aos equipamentos do ar condicionado, tanto dos equipamentos quanto de sua instalação. Seu consumo de água e energia são também significativamente inferiores.

Enquanto o ar condicionado é mais indicado para ambientes não tão grandes e fechados, a microaspersão atua nos ambientes mais abertos, semi abertos e amplos.

Microaspersão x Climatizador evaporativo

Apesar de ambos poderem ser utilizados em ambientes abertos, as tecnologias utilizadas e os resultados obtidos são diferentes.

Enquanto a microaspersão trabalha com a atomização da água em alta pressão proporcionando sua rápida evaporação no ambiente, refrescando com eficiência e sem molhar, os climatizadores evaporativos reduzem a temperatura do ar quente que entra no sistema.

Na microaspersão, além de não haver um limite ao tamanho da área a ser climatizada, temos uma climatização muito mais homogênea do ambiente, uma vez que os microaspersores são distribuídos por toda área.

A microaspersão também se destaca por sua aparência discreta e sua rápida e fácil adaptação em diversos tipos de estruturas.

Microaspersão x Ventilador de baixa pressão

Estamos falando aqui de equipamentos de baixa e alta pressão. A grande diferença é a qualidade de resfriamento que estas distintas tecnologias proporcionam.

A microaspersão, por utilizar a alta pressão, proporciona uma evaporação da água aspergida muito mais rápida e uniforme no ambiente, conferindo assim uma climatização mais eficaz e homogênea.

Além disso, o sistema de microaspersão é dotado de painel temporizador, o que permite o controle automático de acionamento da névoa, refrescando sem molhar!

O aspecto estético destes dois equipamentos também é bastante diverso.

Saiba mais: CLIMATIZAÇÃO COM ASPERSÃO: ALTA OU BAIXA PRESSÃO? SAIBA AS DIFERENÇAS ENTRE ELES!

Depois de conhecer os principais tipos de climatização de ambientes, vale a pena destinar um olhar mais atento a cada um deles para fazer uma boa escolha. Assim, seu investimento trará um resultado positivo, seja para seu negócio, seja para seu bem-estar.

Acha que este artigo pode tirar a dúvida de mais pessoas sobre o assunto? Então, aproveite e compartilhe o conteúdo em suas redes sociais!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply